animação

“Recusa” em Temporada Paulistana

 

recusa_10

 

Espetáculo da Cia Teatro Balagan em que Eduardo Okamoto é ator-convidado e Daniele Sampaio é diretora de produção estreia em curtíssima temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade, na capital paulista. A entrada é gratuita com retirada de ingressos 30 min. antes do início da seção.  A temporada acontece de 19 de março a 12 de abril de 2014, de quarta a sábado, às 20h.   

 

“Recusa” foi criado a partir do interesse despertado pela notícia veiculada no Jornal Folha de S. Paulo, em 16 de setembro de 2008 sobre o aparecimento de dois sobreviventes, índios Piripkura – etnia considerada extinta há mais de vinte anos. Viviam nômades, perambulando por fazendas madeireiras no noroeste do Mato Grosso, próximo ao município de Ji-Paraná, em Rondônia, e ambos se recusavam a estabelecer qualquer contato com os brancos. Foram encontrados porque suas gargalhadas ressoaram na floresta e chamaram atenção: eles riam das histórias que contavam um ao outro enquanto davam conta de comer a caça recém abatida.

“Recusa” é narrado, cantado, por dois olhares e seus múltiplos: dois índios Piripkura; dois heróis ameríndios, Pud e Pudleré, criadores dos seres; um padre que foi engolido por uma onça que resolveu morar dentro de um lugar inesperado; um fazendeiro que matou um índio e o mesmo índio que o matou, por uma cantora que se perde na mata, por Macunaíma e seu irmão, os heróis dos Taurepang, e outros tantos.

 

Equipe de Criação
Na criação de “Recusa”, as funções da equipe encontram espaços de transição, ora os atores são propositores de matérias para a dramaturgia, ora a direção provoca-os à pesquisa de composição do espaço, ora pessoas de fora da cena dialogam com os estudos apontando escolhas que interferem na composição. Nesta obra, o entendimento sobre os saberes, as maestrias que atuam no trabalho cênico (direção, dramaturgia, atuação, iluminação, música etc.) dizem respeito não tão somente ao autor designado, mas a especificidade de sua arte na composição de um trabalho que é múltiplo e comum.

 

Ficha Técnica: 
ATUAÇÃO: Antonio Salvador e Eduardo Okamoto (ator convidado)
ENCENAÇÃO: Maria Thaís
DRAMATURGIA: Luís Alberto de Abreu
CENOGRAFIA E FIGURINO: Márcio Medina
ILUMINAÇÃO: Davi de Brito
DIREÇÃO MUSICAL: Marlui Miranda
PREPARAÇÃO DE BUTOH: Ana Chiesa Yokoyama
ASSISTÊNCIA DE DIREÇÃO: Gabriela Itocazo
ASSISTÊNCIA DE CENOGRAFIA: César Santana
ASSISTÊNCIA DE ILUMINAÇÃO: Vânia Jaconis
OPERAÇÃO DE LUZ: Bruno Garcia
ADMINISTRAÇÃO: Deborah Penafiel
COSTUREIRA: Judite Lima
FOTOGRAFIA MATERIAL GRÁFICO E DIVULGAÇÃO: Ale Catan
PROJETO GRÁFICO: daguilar.com.br
ARTE GRÁFICA CIA TEATRO BALAGAN: Gustavo Xella
PRODUÇÃO EXECUTIVA: Norma Lyds
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO: Daniele Sampaio

 

Premiações

PRÊMIO SHELL DE TEATRO 2012
Direção – Maria Thaís
Cenário – Márcio Medina

 

PRÊMIO APCA – ASSOCIAÇÃO PAULISTA DOS CRÍTICOS DE ARTE 2012
Ator – Antonio Salvador e Eduardo Okamoto

 

PRÊMIO COOPERATIVA PAULISTA DE TEATRO 2012
Espetáculo de Sala
Projeto Sonoro – Marlui Miranda

 

PRÊMIO FITA – FESTA INTERNACIONAL DE TEATRO DE ANGRA 2013 – RJ 
Cenário – Márcio Medina

 

8 INDICAÇÕES
Prêmio Shell – Ator, Música 
Prêmio CPT – Dramaturgia, Direção, Elenco, Projeto Visual
Prêmio FITA – Categorial Especial – Cia Teatro Balagan – Pesquisa de Linguagem, Música 

 

“Recusa” na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo
De 19 de março a 12 de abril
Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo – SP
Telefone: (11) 3222-2662/ (11) 3221-4704
Entrada franca
Ingressos distribuídos com 30 min. de antecedência
50 lugares

 

Envie um comentario