animação

Pelo Amor de Deus!

 

Amigos evangélicos (e eu tenho muitos e queridos), por amor a Deus, expressem o mais veemente repúdio a atuação do deputado Marcos Feliciano à frente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Gritem o tamanho da vergonha que é (ou que, no mínimo, deveria ser) para os evangélicos este projeto de lei da “cura gay”.

 

Este importante momento para o país é oportunidade para que os evangélicos façam também história, concretizando em ação a palavra do Cristo. O Verbo encarnado. Afinal, “amar o próximo como a si mesmo” não significa amá-lo porque (e somente porque) o outro é um igual a mim. Significa que ambos são iguais diante de Deus, Sua imagem e semelhança. Digo, a dignidade humana, orientada pelas mais diversas opções de vida, atrás de si tem respaldo da Dignidade Divina. Ver Deus na diferença, onde menos se espera encontrá-Lo, é prova inconteste da fé no Seu amor (onipresente, onipotente). Respeitar escolhas é aposta absoluta na fundamental faculdade conferida por Ele ao homem: o livre arbítrio.

 

Não aceitar o absurdo desta lei, que torna doença o exercício das opções de cada homem (insisto: potência conferida por Deus), é ser mais cristão que nunca. Não esperemos que sejam necessárias leis de cura evangélica, budista, católica, islâmica, judia para que, enfim, não se projetem sobre um Estado Laico os fundamentalismos de pequenos grupos que não representam os ensinamentos dos grandes líderes espirituais da humanidade.

 

E, sendo budista, digo: não terá os meus voto e apoio alguém que por ventura pretenda criar leis constitucionais baseadas nos ensinamentos do Buda. Porque, enquanto que as primeiras servem para o convívio dos homens e as suas diferenças, sendo, portanto, históricas e mutáveis, as palavras que aprendo do Buda são eternas (porque simplesmente falam de um respeito ao humano, como nos ensinos de Cristo, que não se questiona jamais!). Converter uma coisa na outra não é só perigoso do ponto de vista político. É também reduzir a fé e, portanto, traição.

Envie um comentario