animação

Cartaz “Agora e na Hora de Nossa Hora_18!”

 

“Agora ena Hora de Nossa Hora” é um solo de Eduardo Okamoto com direção de Verônica Fabrini. O projeto “Agora e na Hora de Nossa Hora_18!” realiza 18 apresentações do espetáculo em sete cidades do interior paulista, registrando os 18 anos da Chacina da Candelária – quando, no Rio de Janeiro, oito meninos de rua foram assassinados por policiais. As apresentações são financiadas pelo PROAC 2011 – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo.  

 

Abaixo o cartaz da empreitada: 

 

Trailer “Natureza Morta”

Está no ar o trailer do filme curta-metragem “Natureza Morta”, de Bruno Jorge. O filme tem atuações de Eduardo Okamoto, Rosaly Papadopol, Kiko Marques, Gilda Nomancce e Leonardo Ventura.

 

O filme acompanha a estranha relação entre um homem (interpretado por Okamoto) e uma mulher (vivida por Papadopol) com grande diferença de idade. Num centro urbano concreto e singular, São Paulo, desvela-se esta relação de natureza desconhecida a partir da presença de um simples quadro.    

 

Natureza Morta – drama short film / trailer from Bruno Jorge on Vimeo.

 

 

Durante as filmagens, a fotógrafa Fernanda Preto documentou os bastidores do trabalho. Algumas destas imagens estão abaixo, junto da capa do DVD do filme:  

 

Para ver o álbum completo do making of de Fernanda Preto, clique aqui.  

Curso de Elaboração de Projetos Culturais

 

Entre 11 e 12 de fevereiro de 2012, Daniele Sampaio ministra curso sobre Elaboração de Projetos Culturais, na Cia Sarau – localizada no distrito de Barão Geraldo, em Campinas. A taxa de inscrição é de apenas R$ 40,00. O curso é uma realização do Ponto de Cultura Boa Companhia e Companhia Sarau.   

 

O curso tem como objetivo oferecer aos participantes noções gerais de produção e gestão de projetos culturais nas artes cênicas, priorizando os processos de elaboração, execução e pós-produção do edital Proac – Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo.

 

Como conteúdo programático, serão abordados a elaboração propriamente dita de um projeto, incluindo a sua concepção e delimitação de objetivos e justificativa, o seu planejamento estratégico (orçamento e cronograma). Além disto, serão debatidos a execução prática de projetos e a elaboração do seu plano de comunicação. 

 

Serão disponibilizadas 15 vagas e haverá processo seletivo. Os candidatos devem encaminhar um e-mail para, até o dia 22 de janeiro de 2012, com uma breve apresentação e justificando interesse no curso. Os selecionados serão informados por e-mail  até o dia 24 de janeiro. A inscrição no curso será confirmada através de depósito bancário de taxa única no valor de R$40,00 até o dia 31 de janeiro (veja dados para depósito abaixo).  

 

Daniele Sampaio é Bacharel em Ciências Sociais pela UNICAMP e produtora do ator Eduardo Okamoto, desde 2006. Assim, é responsável pela produção dos espetáculos “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2004), “Eldorado” (2008) – indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator em 2009 -, e “Chuva Pasmada” (2010) – indicado ao Prêmio CPT 2010 na categoria de Melhor Elenco.

 

Com estes trabalhos percorreu importantes festivais nacionais (FILO, FIT São José do Rio Preto, Cena Contemporânea de Brasília, Riocenacontemporânea, Caxias em Cena, Floripa Teatro, etc.) e internacionais (Suíça, Espanha, Kosovo, Marrocos, Escócia).

 

Participou de cursos, palestras e seminários com importantes profissionais atuantes na área de produção cultural.

 

Desde 2009, ministra, em parceria com o produtor Pedro de Freitas, da Périplo Produções, o curso “Produção e Gestão para as Artes Cênicas”, durante a realização do “Feverestival” – Festival Internacional de Teatro de Campinas.

 

Atualmente, além dos trabalhos de Okamoto, presta consultoria em produção e gestão para grupos de teatro.

 

Outras informações sobre o trabalho de Daniele Sampaio podem ser obtidas no site de seu trabalho:. 

 

Serviço:

Curso de Elaboração de Projetos Culturais 

Quando: 11 e 12 de fevereiro de 2012

Onde: Cia. Sarau – Rua José Martins, 1899. Vila Santa Isabel. Barão Geraldo – Campinas

Carga horária: 12 horas (Sábado e domingo das 10h às 17h30 – 1h30 de intervalo)

Vagas: 15

Tx. Inscrição: R$ 40,00 (inclui emissão de certificado). Os selecionados deverão efetuar depósito no Banco do Brasil (Agência no. 1515-6 e Conta Corrente no. 41.843-9) em favor de Daniele Sampaio da Silva.  

Informações: 55 19 3289-5265

Espetáculo “Eldorado” em curtíssima temporada em São Paulo

 

img_8555

 

O solo “Eldorado”, do ator Eduardo Okamoto, volta a São Paulo, em curtíssima temporada no Espaço Elevador, sede da Cia Elevador de Teatro Panorâmico. A temporada tem pré-estréia para convidados no dia 01 de dezembro e segue em temporada até o dia 18 do mesmo mês. As apresentações acontecem de quinta-feira a sábado, às 21h, e nos domingos, às 19h.

  

É a primeira vez que “Eldorado”, que é dirigido por Marcelo Lazzaratto, apresenta-se no espaço em que o diretor reúne a sua própria companhia de teatro: a Cia Elevador. Este coletivo vem se firmando, nos últimos anos, como um dos importantes trabalhos teatrais da cidade de São Paulo. Isso é atestado pela seleção consecutiva de dois de seus projetos pela Lei de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo, em 2010 e 2011, e pela indicação ao Prêmio Shell pela pesquisa e criação do espetáculo “Do Jeito que Você Gosta”. 

 

Com espaço próprio, a Cia Elevador, além de abrigar suas criações, abre suas portas para a receber trabalhos de outros artistas, como na temporada recém concluída de “Portela, patrão. Mário, motorista”, da Boa Companhia.     

 

Sendo o Espaço Elevador não só uma casa de espetáculos, mas sobretudo um centro de pesquisa em teatro, a temporada de “Eldorado” será acompanhada de um workshop gratuito sobre “Dramaturgia do Corpo”, com Eduardo Okamoto. O curso acontece entre os dias 02 e 03 de dezembro e já tem vagas esgotadas.  

 

Eldorado
O trabalho sintetiza as pesquisas de Eduardo Okamoto sobre o universo da rabeca – instrumento de arco e cordas, semelhante ao violino, presente em muitas manifestações da cultura popular do Brasil. Em viagens de campo nas cidades de Iguape e Cananéia, no litoral sul de São Paulo, Okamoto recolheu causos, canções, ações de rabequeiros, seus timbres de voz. Esse material serviu de base para a criação dramatúrgica do argentino Santiago Serrano. Foi ele quem delineou a fábula de um cego em busca de um bom lugar, seu Eldorado.  

 

“Eldorado”, assim, fala de territórios de viagens. Ali, onde o viajante é atravessado enquanto enquanto atravessa geografias. Ali, onde todo homem é único e igual a todos os demais. 

 

Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui.  

 

Serviço
“Eldorado” no Espaço Elevador
De 02 a 18 de dezembro
De quintas-feiras a sábados, às 21h
Domingos, às 19h 
Endereço: Rua Treze de Maio, 222. Bela Vista – São Paulo.
Telefone: 11 3477.7732
Ingressos: de R$10,00 a R$20,00  

 

 

Oficina “Elaboração de Projetos Culturais” em Ribeirão Preto

 

Nesta quarta e quinta-feira, 9 e 10 de novembro, o Pontão de Cultura Sibipiruna, de Ribeirão Perto, realiza a oficina “Elaboração de Projetos Culturais”. A oficina acontece das 18h30 às 22h30,  no viagra da Classe Operária – UGT:  Rua José Bonifácio, 59. Serão 15 vagas disponíveis, sendo que as vagas para os Pontos de Cultura de Ribeirão Preto já estão reservadas.

 

Segundo Luciana Rodrigues, Coordenadora do Pontão, o curso tem como objetivo oferecer aos participantes “noções gerais de produção e gestão de projetos culturais, priorizando os processos de elaboração, execução e pós-produção de projetos culturais”.

 

A oficina será ministrada por Daniele Sampaio, Bacharel em Ciências Sociais pela Unicamp, produtora do ator Eduardo Okamoto desde 2006, responsável pela  produção dos espetáculos “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2004), “Eldorado” (2008), indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator em 2009, e “Chuva Pasmada” (2010), indicado ao Prêmio CPT 2010 na categoria de Melhor Elenco. Desde 2009, ministra em parceria com o produtor Pedro de Freitas, da Périplo Produções, o curso “Produção e Gestão para as Artes Cênicas”, durante a realização do “Feverestival” – Festival Internacional de Teatro de Campinas desde 2009. Atualmente, além dos trabalhos de Okamoto, presta consultoria em produção e gestão para grupos de teatro.

 

Serviço:
Oficina “Elaboração de Projetos Culturais”
Dias: 9 e 10 de novembro
Horário: 18h30 às 22h30
Local: Memorial da Classe Operária – UGT (Rua José Bonifácio, 59, Centro)
Vagas: 15 vagas (as vagas para os pontos de cultura já estão reservadas)
Inscrições: contato@pontaosibipiruna.com.br ou             16-3610- 8679  
    

“Agora e na Hora de Nossa Hora” no SESC Pompéia

 

 

Revista Olhares 2 publica artigo de Eduardo Okamoto

 

 

A revista Olhares, publicação da Escola Superior de Artes Célia Helena, será lançada hoje, dia dez de outubro de 2011, na Livraria da Vila. A edição homenageia o trabalho de Daniela Thomaz, traçando um perfil da artista.

 

A revista Olhares teve, nesta edição, a colaboração editorial dos Profs. Drs. André Carreira, da Universidade do Estado de Santa Catarina, e Walter Lima Torres Jr., da Universidade Federal do Paraná. Constam, no volume, textos assinados por Frank Totino, Richard Schechner, Aïcha Haroun Yaccobi, Roberto Moreira, Oswaldo Mendes, Eduardo Okamoto, Luciana Magiolo, Humberto Hugo Villavicencio García, Carolina Gonzalez, Edélcio Mostaço, Sílvia Fernandes.

 

Em seu artigo, Eduardo Okamoto analisa sua experiência no Marrocos, no Festival Internacional de Expressão Corporal  Teatro e Dança de Agadir, e num desdobramento da viagem: a montagem do exercício cênico Ghita, de  Aïcha Haroun Yacobi. Parte do texto, foi publicado no blog do ator. Para ver essa postagem, clique aqui.

Espetáculo “Eldorado” no Sesi Campinas

 

img_8348

 

O projeto Arte Local continua apresentando atividades atísticas no SESI Campinas. E, na próxima quinta-feira, dia 06 de outubro, é a vez de Eduardo Okamoto apresentar o espetáculo “Eldorado”. A apresentação acontece às 20h, com entrada gratuita e ingressos distribuídos uma hora de antes.

 

O projeto Arte Local, do SESI, valoriza iniciativas voltadas à criação de plateias e disponibiliza os equipamentos culturais aos artistas regionais, com foco na difusão das artes e da cultura locais e a facilitação do acesso do público aos eventos.

 

Em Campinas, a apresentação de “Eldorado” é motivo de celebração: a inauguração do novo teatro do SESI Campinas, novo e fundamental espaço numa cidade carente de equipamentos culturais; e a volta de “Eldorado” à cidade onde o espetáculo foi concebido. Parece pouco.  Não é.  Não é segredo para nenhum dos cidadãos de Campinas que a cidade notadamente, nos últimos anos, apresenta uma política cultural incipiente. Até mesmo os artistas locais tem dificuldade de apresentar seus trabalhos na cidade (não há, no presente momento, um único teatro público adequadamente equipado, em Campinas). Isso, no limite, tem provocado distorções alarmantes: “Eldorado”, por exemplo, espetáculo de ator residente na cidade, Eduardo Okamoto, realizou menos de 6 apresentações em solo campineiro dentre as mais de 110 sessões do trabalho. Assim, a apresentação do espetáculo no SESI tem motivos de sobra para festejar!

 

 

Serviço:

Dia 06/10/2011. Quinta-feira, às 20h.
Teatro do Sesi Campinas
Avenida das Amoreiras, 450. Parque Itália. Campinas – SP.

Telefone: (19) 3772.4184

Ingressos gratuitos distribuídos a partir das 19h.

 

 

Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui. Para saber mais sobre o seu processo de criação, clique aqui.

Espetáculo “Eldorado” no SESI Piracicaba

 

img_8648

 

Eduardo Okamoto apresenta o espetáculo “Eldorado” no Teatro do Sesi Piracicaba, dia 29 de setembro de 2011, às 20h. A entrada é gratuita e os ingressos serão distribuídos com uma hora de antecedência.

 

A apresentação integra o projeto Arte Local, do SESI.  A intenção da entidade é valorizar iniciativas voltadas à criação de plateias e disponibilizar os equipamentos culturais aos artistas regionais, com foco na difusão das artes e da cultura locais e a facilitação do acesso do público aos eventos. Assim, a programação recebe artistas de teatro, dança e música de artistas sediados em Piracicaba ou num raio de 180 quilômetros da cidade.

 

Serviço:

Dia 29/09/2011. Quinta-feira, às 20h.
Teatro do Sesi Piracicaba
Avenida LuizRalph Benatti, 600 – Vila Industrial.
Informações: (19) 3403-5928

 

Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui. Para saber mais sobre o seu processo de criação, clique aqui.

 

Oficina Produção e Gestão de Projetos Culturais

 

Daniele Sampaio ministra oficina sobre Produção e Gestão de Projetos Culturais em, Ribeirão Preto, como parte da 3ª MOSTRA DE TEATRO GIRA-SOLA (2011).

 

O curso tem como objetivo oferecer aos participantes noções gerais de produção e gestão de projetos culturais nas Artes Cênicas. Assim, serão enfatizados os seguintes tópicos: leis de incentivo, editais federais, estatais e privados, elaboração, execução e pós-produção de projetos culturais. Uma realização através da parceria do Ponto de Cultura Casa das Artes com o Movimento Gira-Sola.

 

A oficina acontece de 22 a 24 de setembro, das 14h às 18h, completando, assim, 12h de carga horária. As inscrições são gratuitas. A oficina acontecerá na casa das Artes: Avenida Caramuru, 1516; telefone: (16) 3441.2474.

 

Daniele Sampaio é produtora do ator Eduardo Okamoto desde 2006. É responsável pela produção dos espetáculos “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2004), “Eldorado” (2008) – indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator, em 2009 – e “Chuva Pasmada” (2010) em parceria com a atriz Alice Possani do Grupo Matula Teatro – indicado ao Prêmio CPT 2010 na categoria de Melhor Elenco. Com estes trabalhos percorreu importantes festivais nacionais (FILO, FIT São José do Rio Preto, Cena Contemporânea de Brasília, riocenacontemporânea, Caxias em Cena, Floripa Teatro, etc) e internacionais (Suíça, Espanha, Kosovo, Marrocos, Escócia). Participou de cursos, palestras e seminários com importantes profissionais atuantes na área de produção cultural. Desde 2009, ministra em parceria com o produtor Pedro de Freitas, da Périplo Produções, o curso “Produção e Gestão para as Artes Cênicas”, durante a realização do “Feverestival” – Festival Internacional de Teatro de Campinas. Trabalhou com grupos Barracão Teatro, Grupo Matula Teatro, Jogando no Quintal e Cia. da Memória. Desde 2009, presta consultoria em produção e gestão para grupos de teatro.

 

O Gira-Sola é um projeto do Grupo Teatral Engasga Gato e do Grupo Zibaldoni, ambos de Ribeirão Preto. O objetivo é difundir trabalhos teatrais de todo o país que estejam fora do circuito da grande indústria cultural e valorizar propostas cênicas inovadoras que direcionam seu fazer teatral a novos olhares e seus pés a um terreno de risco.

Espetáculo “Eldorado” em S. J. Campos

 

Eduardo Okamoto apresenta o espetáculo “Eldorado”, em São José dos Campos, como parte da programação do Festivale. A apresentação acontece no Teatro do Sesi, com ingressos gratuitos, distribuídos uma hora antes da apresentação.

 

Neste ano, o festival realiza mais de 100 atividades, entre apresentações de peças teatrais, palestras, workshops e debates em cerca de 40 locais diferentes na cidade. A maioria das atividades é gratuita.

 

Para saber mais sobre o festival, clique aqui.

Para saber sobre o espetáculo, clique aqui.  Para saber mais sobre o seu processo de criação, clique aqui.

 

Dia 08/09/2011. Quinta-feira, às 20h.

Teatro do Sesi São José dos Campos

Av. Cidade Jardim, 4389 – Bosque dos Eucaliptos

Informações: (12) 3936-2611


Sinopse: Acompanhado por uma “Menina”, um cego busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. Toda estória se resume nisto: era uma vez um homem que procura. Nos tempos e lugares da viagem, haja espaço para humanidades – travessia

 

Concepção, pesquisa e atuação: Eduardo Okamoto

Dramaturgia: Santiago Serrano

Direção Marcelo Lazzaratto

Broadway Baby – Crítica “Agora e na Hora de Nossa Hora”


 

Abaixo a crítica de Matthew Hawkins, publicada no Brodway Baby (http://www.broadwaybaby.com).

 

 

Cosmic

 

Eduardo Okamoto has played this piece for seven years now and it has become part of his identity. Even so, his portrayal of Pedrinha, a vulnerable Brazilian street kid, remains volatile. Charged spontaneity is maintained here by Okomato’s access to cardinal dance disciplines, in a global sense. To see how he coils his spine in intensely low squats then rises up as if impelled and how he shape-shifts his bared abdomen and ribcage in an intoxication of unbound expression (extending to plangent vocals) is to know full-blown physical immersion.

 

Witnessing Now and at the Time of Our Turn requires punters sit around darkened edges and ponder two intersecting strips of light (oops, a cross!) within which Okamato’s Pedrinha waits entrapped. Then, flailing backwards and forwards, spilling his soul, neurotically all akimbo but finding sudden animal reflexes of terrified stillness, he has us learn (and retain) how his persona has become deranged by a mindless trauma he has witnessed. Stellar actors and dramatists all find ways to do this but here it is rendered searingly individual. Before his skull becomes the resonant instrument of self harm, we repeatedly notice the articulate detail of how this head, neck and throat (bearing crucifix and precious earring) suspend an eloquent mechanism for primal outlet, right up from the gut, up and over the muscular tongue. This visionary sensuality delights to the degree that we can’t fail to know the nugget of marvel deeply embedded in kids gone feral. Hence, the narration of their brutal destiny flays us but also inspires.

 

This artist and his director, Veronica Fabrini, have examined a troubled terrain and mastered the means (including a basic but telling Anglo/Portuguese script) to take us there and to haul us back emotionally dishevelled. Dazed, I felt my way out of the premises, oddly cherishing the hope that, taking his cue from Pedrinha’s final wishes, Edoardo Okamoto might someday free himself from the crucifying burden of this piece. His future playing, choreography or dancing would be astonishing I’m sure, but meanwhile he is phenomenally present this way.

 

Crítica por Matthew Hawkins


Fonte: http://www.broadwaybaby.com/edinburgh-fringe/10786-now-and-at-the-time-of-our-turn

The Stage – Crítica “Agora e na Hora de Nossa Hora”



Abaixo a crítica de Alistair Smith, publicada no The Stage (http://ed.thestage.co.uk/).


Writer and performer Eduardo Okamoto’s one-man show takes as its inspiration the true story of the Candelaria Slaughter – when in 1993, Brazilian policemen killed eight street children in the middle of Rio de Janeiro.


Okamoto plays Pedrinha, another street kid who has witnessed the killings while hidden on top of a newsstand.


At first, we find this child – like a kind of feral cat – hunting for rats and we follow him on a journey that sees him get high on crack, eat stones and engage in various quasi-religious rituals.


The thread of the story is not always clear – partly intentionally to reflect Pedrinha’s mental state, partly because large swathes of the production has him muttering in Portuguese – but Okamoto’s energetic performance is enough to carry the production along, despite its vagaries.


He is physically hugely impressive, adopting the twitches and mannerisms of someone living on the very edge of sanity and society. At one point he tries to make a drum beat by banging his head against the floor.


It is a disturbing and deeply affecting performance and one which has clearly been honed over a number of years of touring the show and from first-hand experience working with street children. This is not an easy production to watch – and sometimes to follow – but it is one that is very much worth seeing.


Crítica por Alistair Smith


Fonte: http://ed.thestage.co.uk/reviews/1379?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter&utm_campaign=ed2010

 

Ator de Campinas encena Chacina da Candelária em igreja da Escócia

 

Eduardo Okamoto leva seu solo a um dos maiores festivais de artes do mundo

 

Eduardo Okamoto não está desacostumado a encenar fora do País seu espetáculo solo “Agora e na Hora de Nossa Hora”, que retrata a Chacina da Candelária. Mas, dessa vez, um dado faz toda diferença: em sua passagem pela Escócia de 5 a 19 de agosto, o ator coloca o solo à mostra dentro de uma igreja, espaço onde acontece o Festival Fringe, um dos maiores do mundo, na cidade de Edimburgo. “A gente sempre quis fazer em uma igreja […] o sonho é encenar na Candelária”, revela Okamoto.

 

Na Candelária, a ideia dificilmente irá se concretizar, mas as 15 apresentações que o ator fará na Escócia têm um ar particular, de ineditismo, que em alguns aspectos remontam o cenário dos assassinatos. “É como se o tema reencontrasse seu lar”, declara à reportagem do EP Campinas por telefone.

 

Okamoto já está no país europeu, e ganhou atenção dos maiores jornais locais, que se interessaram por sua apresentação. “As pessoas mais jovens têm alguma lembrança, os mais novos não”, diz, sobre o conhecimento que percebeu dos escoceses referente à chacina.

 

“Agora e na Hora de Nossa Hora” já foi apresentado em países como Suíça, Kosovo e Espanha, e Okamoto acha notável as diferentes reações do público. A história recente de Kosovo, marcada por conflitos, fizeram com que as cenas mais violentas despertassem a lembrança dos locais. “A memória de guerra é acessada imediatamente”, acredita.

 

O solo de Eduardo Okamoto, mesmo quando excursiona fora do Brasil, é falado prioritariamente em português, com inserções pontuais da língua local. Para o ator, a força da história torna o tema universal, além das barreiras do idioma.

 

“Agora e na Hora de Nossa Hora”
O espetáculo já cumpriu temporada em São Paulo e foi apresentado em alguns dos principais festivais de teatro do Brasil, entre eles: Filo (Londrina); Festival Internacional de Teatro de S. J. Rio Preto (FIT); Cena Contemporânea de Brasília; Riocenacontemporanea (Rio de Janeiro). Em diversos festivais nacionais o trabalho foi agraciado com prêmios.

No exterior, já esteve no Festival Internacional de Teatro de Lugo e Festival Internacional de Teatro de Santiago de Compostela (Espanha); Festival Internacional de Teatro de Lugano (Suíça); Skena Up International Film and Theatre Festival, em Prístina (Kosovo); e Festival Internacional de Expressão Corporal, Teatro e Dança de Agadir, no Marrocos, onde levou o prêmio de melhor ator.

 

Eduardo Okamoto
É ator graduado em Artes Cênicas, Mestre e Doutor em Artes pela Unicamp. Desde 2000, pesquisa o trabalho de ator sob orientação do Lume (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa Teatrais da Unicamp). Recentemente, o ator foi indicado ao Prêmio Shell como melhor ator da temporada 2009, por um outro solo,  “Eldorado”.

 

*Fonte: http://eptv.globo.com/campinas/variedades/NOT,1,1,361931,Ator+de+Campinas+encena+Chacina+da+Candelaria+em+igreja+da+Escocia.aspx

Cartaz “Agora e na Hora de Nossa Hora” em Edimburgo