animação

“Eldorado” em Taubaté

 

Eduardo Okamoto apresenta monólogo com dramaturgia de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaratto na abertura do 1º Festival de Teatro de Taubaté.

 

img_8348

 

A primeira edição do Festival de Teatro de Taubaté começa no dia 15 de setembro, com a apresentação de “Eldorado” como espetáculo convidado. As apresentações seguem até o dia de 25 de setembro. O evento conta com a participação de dez grupos teatrais das cidades de Taubaté, São Paulo, Jacareí, São José dos Campos e Pindamonhangaba.

 

Organizado pela Secretaria de Turismo e Cultura (SETUC) da Prefeitura de Taubaté, o festival contará com apresentações diárias no Teatro Metrópole.  O ingresso para cada espetáculo custará R$ 5,00 (preço único e promocional). A abertura em que se apresenta o espetáculo de Okamoto tem ingressos franca. 

 

“Eldorado” foi criado a partir de estudos de Eduardo Okamoto sobre a tradição da rabeca – instrumento de arco e cordas, como o violino, presente em muitas manifestações da cultura popular do Brasil. A partir destes estudos, o premiados dramaturgo argentino criou uma texto inédito. Ali, conta-se a fábula de um cego que, acompanhado por uma “Menina”, busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. 

 

Depois de um longo processo de estudo e criação dramatúrgica (aproximados três anos), o diretor Marcelo Lazarrato lapidou as criações de ator e dramaturgo, conferindo forma final ao espetáculo. Assim, procurou universalizar os estudos de Okamoto que, inicialmente, pautava-se em relações regionais (a rabeca e os rabequeiros). Neste lugar atemporal, propício ao maravilhamento, o personagem cego da fábula  é todo homem e o Eldorado é a busca humana pelo seu bom lugar.

 

Serviço:
“Eldorado” em Taubaté  
15 de setembro, às 20h 
Teatro Metrópole
Duque de Caxias, 312 – Centro
(12) 3624-5915 
Ingressos gratuitos  

“Agora e na Hora de Nossa Hora” no Festivale

Eduardo Okamoto apresenta monólogo sobre meninos de rua como espetáculo convidado no Festivale 2012, em São José dos Campos. Apresentação será no dia 10 de setembro, às 20h, no CET – Centro de Estudos Teatrais.  

 

O Festival Nacional de Teatro do Vale do Paraíba – Festivale acontece de 06 a 16 de setembro. Sendo um dos eventos culturais mais importantes do Vale do Paraíba, o festival reúne mais de 20 espetáculos vindos de diferentes partes do Brasil. Além de apresentações, o evento realiza atividades formativas, como oficinas e debates.

 

“Agora e na Hora de Nossa Hora” é um solo de Eduardo Okamoto com dramaturgia do próprio ator e direção de Verônica Fabrini. Para a sua criação, Okamoto interagiu com meninos de rua em Campinas (onde ministrou oficinas de circo para esta população), São Paulo e Rio de Janeiro. Além disso, estudou o histórico e trágico acontecimento conhecido como Chacina da Candelária – quando, em 1993, oito meninos de rua foram assassinados por policias no Rio de Janeiro. Por fim, ainda se inspirou na obra “Macário” do Mexicano Juan Rulfo. Para saber mais sobre o espetáculo e ver vídeos e fotos, clique aqui.   

 

Serviço: 
“Agora e na Hora de Nossa Hora” no Festivale
Quando: 10/09/2012, às 20h 
Onde: CET – Centro de Estudos Teatrais
Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana
Informações: (12) 3924-7358.   

 

 

Travessias Poéticas em São Paulo e Campinas

 

“Chuva Pasmada”, parceria de Eduardo Okamoto e Grupo Matula Teatro, compõe mostra que reúne espetáculos de Bahia, São Paulo, Pernambuco.  

 

Chuva Pasmadacom Eduardo Okamoto e Alice PossaniTexto original: Mia CoutoDramaturgia: Cássio PiresDireção e Iluminação: Marcelo LazzarattoFigurinos e Cenografia: Warner ReisTrilha Sonora: Michael GalassoArte Gráfica: Alexandre CaetanoFotografia: Fernando StankunsProdução: Daniele Sampaio e Grupo Matula Teatro

 

Desde a década de 1990, o chamado teatro de grupo impulsionou sobremaneira o teatro brasileiro. As primeiras décadas dos anos 2000, assinalam um novo impulso para  esta cena fundada em parcerias: a reunião de grupos de artistas com trabalhos afins em projetos conjuntos – coletivos de coletivos! Assim é Travessias Poéticas, mostra de espetáculos teatrais de distintos criadores, residentes em três diferentes estados brasileiros: “Chuva Pasmada”, de Eduardo Okamoto e Grupo Matula Teatro, de Campinas (São Paulo); “Gaiola de Moscas”, do Grupo Peleja, de Recife (Pernambuco); e “Mar Me Quer”, d’A Outra Companhia de Teatro, de Salvador (Bahia).

 

Em comum, estas obras apresentam – além de grande investimento em pesquisas poéticas, em que pese a noção do processo criativo como aprendizado técnico e ético da artesania cênica – a inspiração na literatura do moçambicano Mia Couto. Assim, os espetáculos que constituem a mostra tem na literatura (em conto, novela ou romance) o seu impulso de criação – ou, para acompanhar Mia Couto, o teatro tem “caroço” nas palavras de um Moçambique reinventado pelos livros.         

 

A mostra Travessias Poéticas, passará por seis cidades brasileiras: São Paulo e Campinas (em São Paulo), Salvador e Alagoinhas (na Bahia), Recife e Arco Verde (em Pernambuco). A estreia será no SESC Santo Amaro, em São Paulo, entre os dias 11 e 15 de setembro. Na semana seguinte, esta “trupe de trupes de artistas” desembarca em Campinas para, na sede do Lume Teatro, realizar apresentações de suas obras entre os dias 17 e 22.    

 

Além dos espetáculos, em cada uma das cidades haverá atividades formativas compondo a programação: oficinas de iniciação teatral (com duração de oito horas) voltadas para estudantes de escolas públicas; palestras acerca das relações entre a literatura e a criação cênica; intercâmbios em que os artistas participantes trocam procedimentos e experiências de trabalho.

 

Para saber a programação completa em cada cidade, acesse o site do projeto: <http://travessiaspoeticas.wordpress.com/>.

 

Serviço:
Travessias Poéticas em São Paulo
De 11 a 15 de setembro de 2012
SESC Santo Amaro
Endereço: Rua Amador Bueno, 505 – Santo Amaro
Telefone: 11 5541 4000
Entrada: R$ 3,00 a R$ 12,00 

 

Travessias Poéticas em Campinas 
De 17 a 22 de setembro de 2012
Lume Teatro
Rua Carlos Diniz Leitão, 150 Vila Santa Isabel – Barão Geraldo
Telefone: 19 3289 9869
R$ 10,00 e R$ 5,00 

 

 

Eduardo Okamoto no Filte, em Salvador

 

Eduardo Okamoto apresenta “Agora e na Hora de Nossa Hora” e “Eldorado” no Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia.

 

img_8373Eldorado”, solo de Eduardo Okamoto que estará no Filte 2012

 

O Festival Latino- Americano de Teatro da Bahia – Filte terá, em 2012, a sua quinta edição e objetiva, como sugere seu nome, intercambiar experiências entre artistas oriundos da América Latina e o público baiano. E, considerando a gênese de formação desta porção do globo terrestre, o festival ainda programa trabalhos de Portugal e Espanha, tornando, enfim, o evento ibero-americano.  

 

Em 2012, o evento acontece entre os dia 01 e 09 de setembro de 2012, estendendo-se por 13 espaços de Salvador e Lauro de Freitas. Em sua programação,  totalizam-se 60 apresentações. 

 

Nesta edição, além de espetáculo, eventos paralelos acompanharão o festival: o Colóquio Internacional de Recepção Teatral com convidados de Cuba, Estados Unidos, México, Argentina, Rússia, Alemanha, Brasil;  o Nortea 2012 (Núcleo de Laboratórios teatrais do Nordeste); um Mutirão de Critica Teatral e a 1ª Mostra Internacional de Teatro Baiano.

 

Eduardo Okamoto participa do Filte com dois espetáculos solos. No dia 04 de setembro, às 21h, no Teatro Martim Gonçalves, Okamoto apresenta “Agora e na Hora de Nossa Hora”. O solo tem direção de Verônica Fabrini e trata da vida de meninos de rua, especialmente da Chacina da Candelária. Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui.  

 

 

eduardo-okamoto-36Eduardo Okamoto em “Agora e na Hora de Nossa Hora” 

 

No dia 05 de setembro, será apresentado “Eldorado”, também no Teatro Martim Gonçalves, às 18h. O trabalho solo tem dramaturgia de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaratto. Na fábula, um homem cego, acompanhado por uma “Menina” busca o seu bom luga: “Eldorado”. Para saber mais, clique aqui.    

 

É nóis no Filte!  

 

Serviço: 
“Agora e na Hora de Nossa Hora” no Filte
Local: Teatro Martim Gonçalves
Endereço: Rua Marechal Floriano, s/n, Canela.
Dia: 04/09/2012
Horário: 21h 
Informações: <http://www.ocoteatro.com.br/2012/programacao_detalhes.aspx?id=17>. 

 

“Eldorado” no Filte
Local: Teatro Martim Gonçalves
Endereço: Rua Marechal Floriano, s/n, Canela.
Dia: 05/09/2012
Horário: 18h 
Informações: <http://www.ocoteatro.com.br/2012/programacao_detalhes.aspx?id=26>. 

Eduardo Okamoto em Jornada Teatral, em Campinas

 

No dia 06 de agosto de 2012, às 19h, no Departamento de Artes Cênicas da UNICAMP,  o ator e professor Eduardo Okamoto debate “A Produção Artística na Acadêmia”. Participa da mesa também a diretora e professora Verônica Fabrini.

 

O debate  integra  a “I Jornada Teatral: entre a produção acadêmica e a criação poética”, organizado pelo grupo Os Geraldos. O evento realiza-se entre 06 e 19 de agosto e compreende mesas de debate, exibição de filmes e demonstrações técnicas e apresentação dos espetáculos que formam o repertório do grupo: “Números” (direção de Roberto Mallet) e “Hay Amor” (direção de Verônica Fabrini). Para saber mais, clique aqui.   

 

Eduardo Okamoto teve formação teatral integralmente realizada em ambiente acadêmico. Deu seus primeiros passos no palco como integrante do Grupo Atrás do Grito de Teatro – projeto de extensão universitária da UNESP que reunia comunidade acadêmica e comunidade externa a ela. Depois, bacharelou-se em Artes Cênicas na UNICAMP, onde também desenvolveu trabalhos de Mestrado e Doutorado em Artes. Além de textos refletindo teoricamente a criação poética do ator, seus trabalhos acadêmicos frutificaram em espetáculos teatrais: “Agora e na Hora de Nossa Hora” (2004, como resultado de Mestrado em Artes, foi dirigido por Verônica Fabrini) e “Eldorado” (2008, como resultado de Doutorado em Artes, foi dirigido por Marcelo Lazzaratto). Mais: como parte destas produções, ainda desenvolveu projetos interação como comunidades não-acadêmicas: meninos de rua, rabequeiros etc. Assim, alicerçando as suas criações entre a produção teórica e poética, foi convidado pelo grupo Os Geraldos a discorrer sobre as interações possíveis entre criação poética e teórica.

 

Verônica Fabrini, igualmente, há muitos anos desenvolve seus trabalhos em interações entre pesquisas na Universidade e fora dela. É Bacharel em Artes Cênicas pela UNICAMP, onde também desenvolveu seu trabalho de Mestrado em Artes e atua como docente. Depois, doutorou-se em Ates Cênicas na USP. Como parte de suas pesquisas fundou a Boa Companhia, coletivo que há mais de 20 anos desenvolve estudos prático-teóricos sobre a criação teatral.               

 

Durante o debate ambos pretendem apresentar um pouco de seus procedimentos criativos em espetáculo que, criados na academia, alçaram voos fora dela. Exemplar, neste sentido,  é “Agora e na Hora de Nossa Hora” que, em mais de 150 sessões, já participou dos principais eventos de Artes Cênicas do Brasil (FIT São José do Rio Preto, Filo de Londrina, Cena Contemporânea de Brasília etc.) e mesmo no exterior: Espanha, Suíça, Marrocos, Kosovo, Escócia e Polônia.     

 

Serviço: 
Mesa de debate: “A Produção Artística na Academia”
Com Eduardo Okamoto e Verônica Fabrini
Dia 06 de agosto de 2012, às 19h
Depto. de Artes Cênicas da UNICAMP
Endereço: Rua Elis Regina, 50, na Cidade Universitária “Zeferino Vaz”
Informações: (19) 9265.0049
 

  

 

Theatro José de Alencar

 

Veja o vídeo sobre centenário Theatro José de Alencar, onde, no dia 04 de agosto de 2012, às 19h30, Eduardo Okamoto apresenta o solo “Eldorado”. O espetáculo, com dramaturgia de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaratto, abre o VIII Festival de Teatro de Fortaleza.  

 

 

 Para saber mais sobre a apresentação, clique aqui

 

“Eldorado” em Fortaleza

 

Eduardo Okamoto apresenta o solo “Eldorado”, em Fortaleza (Ceará). O espetáculo tem autoria de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaratto.

 

A apresentação integra o VIII Festival de Teatro de Fortaleza, que se realiza entre 04 e 11 de agosto de 2012. No dia 04, às 9h, um cortejo de abertura toma as ruas da capital cearense com a participação de artistas circenses, atores, dançarinos e grupos de percussão. À noite, às 19h30, logo após a Cerimônia Oficial de Abertura, Eduardo Okamoto encena o solo “Eldorado”, no Theatro José de Alencar.      

 

O Theatro José de Alencar, onde Okamoto apresentará “Eldorado”

 

O teatro é uma das salas de espetáculo mais bonitas do Brasil. Sua arquitetura eleva-o à qualidade de Teatro-Monumento. Mais que sala de apresentação de espetáculos, o José de Alencar compreende um verdadeiro complexo cultural com: sala de espetáculo em estilo art noveau com capacidade para 800 espectadores, auditório de 120 lugares, foyeur e espaço cênico a céu aberto. Em prédio anexo, com 2.600 metros quadrados, sedia o Centro de Artes Cênicas (CENA), o Teatro Morro do Ouro (com capacidade para 90 pessoas). Neste equipamento cultural, na  Praça Mestre Pedro Boca Rica, ainda há palco ao ar livre com capacidade para 600 pessoas, a Biblioteca Carlos Câmara, a Galeria Ramos Cotôco, quatro salas de estudos e ensaios, oficinas de cenotécnica, de figurino e de iluminação. O José de Alencar abriga a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e o Curso Princípios Básicos de Teatro e Circo.  

 

Esta é a primeira vez que Okamoto se apresenta em Fortaleza. A apresentação abre um semestre em que o ator apresentará diversos de seus trabalhos em outros estados nordestinos, como Bahia e Pernambuco. Para saber mais, basta acompanhar as postagens deste blog, onde, em breve, postaremos mais informações.      

 

“Eldorado” narra a fábula de um homem cego que, acompanhado por uma “Menina”, busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. O espetáculo nasce da interação de Eduardo Okamoto com construtores e tocadores de rabeca, instrumento de arco e cordas, parecido com o violino, presente em muitas manifestações da cultura popular do Brasil. Para saber mais, clique aqui

 

Serviço:   
“Eldorado” no Festival de Teatro de Fortaleza
Dia: 04 de agosto de 2012, às 19h30
Local: Theatro José de Alencar
Endereço: Rua 24 de Maio, 600
Informações: http://www.festivaldeteatrofortaleza.com.br

 

Santiago Serrano ministra Oficina sobre Dramaturgia no SESC Campinas

 

O dramaturgo argentino Santiago Serrano  ministra oficina de dramaturgia, dias 18 e 19 de agosto de 2012, no SESC Campinas. Serrano é autor de “Eldorado”, solo do ator Eduardo Okamoto. 

 

Na oficina, o autor propõe exercícios práticos de dramaturgia, abordando e debatendo conceitos caros à criação textual contemporânea. Neste sentido, a oficina debate especificamente o papel do dramaturgo no contexto do grupo de teatro (processo coletivo, colaborativo etc.).

 

A oficina tem caraga horária de 10 horas, sendo realizada em dois dias, das 13h às 18h. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na Central de Atendimento do SESC Campinas. O trabalho é recomendado para maiores de 16 anos.

 

Santiago Serrano é dramaturgo, diretor de teatro, psicanalista e psicodramatista. Em 1991, sua peça “Dinossauros” ganhou prêmio de melhor peça original no Festival de Teatro do Centro Cultural General San Martín, de Buenos Aires. A obra também foi apresentada no Canadá, Estados Unidos, Espanha e Brasil. Em 2005, ganhou o 2º prêmio no Certame Internacional de Dramaturgia da cidade de Requena (Espanha) com “Sexualmente Falando”. Serrano tem uma intensa relação com o Brasil, onde já esteve várias vezes com oficinas, aulas e nas apresentações de espetáculos baseados em sua obra. Neste sentido, destacam-se: “Dinossauros” (2005), direção de Guilherme Reis com o Grupo Cena, de Brasília; “A Revolta”, encenada por Reginaldo Nascimento à frente do Grupo Kaus (2007), de São Paulo; e “Eldorado” (2008), em parceria com o ator Eduardo Okamoto, de Campinas. Por sua atuação neste espetáculo, Okamoto foi indicado ao Prêmio Shell (2009).

 

Serviço:
Oficina “O Dramaturgo no Processo Criativo”, com Santiago Serrano
Dias 18 e 19 de agosto de 2012
Das 13h às 18h
Inscrições grátis
SESC Campinas: Rua Dom José I, 270/333
Informações: (19) 3737.1500

 

Eduardo Okamoto em Araraquara

 

Eduardo Okamoto participa da 24. Semana Luiz Antônio Martinez Corrêa. O evento tem como finalidade fomentar, refletir e difundir a produção teatral fundada na pesquisa de linguagem, valorizando a diversidade cultural.  A Semana é organizada pela Prefeitura de Araraquara em parceria com o SESC e a Oficina Cultural Regional Lélia Abramo. 

 

No evento, Eduardo Okamoto participa do Café de Investigação: espaço formativo de debate acerca do teatro. Okamoto discorrerá especialmente sobre a arte de ator, seus métodos de treinamento e criação. Assim, abrirá conversa sobre a atuação, suas tradições formativas e as suas relações com a cena contemporânea. O Café de Investigação acontece no dia 21 de junho, às 19h,  no SESC Araraquara, e a entrada é gratuita.        

 

Serviço
Café de Investigação com Eduardo Okamoto
Dia 21 de junho, às 19h
Projeto OfiCena
SESC Araraquara
Grátis  

 

Eduardo Okamoto em Maringá

 

 

Eduardo Okamoto participa do Festival de Teatro de Maringá, apresentando “Agora e na Hora de Nossa Hora” e ministrando a oficina “Dramaturgia do Corpo”.

 

O Festival de Teatro de Maringá, em sua primeira edição, é organizado pela Prefeitura de Maringá, SESC e Universidade Estadual de Maringá. O evento acontece de 1 a 16 de junho em espaços diversos da cidade, como o Teatro Calil Haddad, Teatro Barracão, Teatro da UEM, a Praça Raposo Tavares e outros espaços ao ar livre.

 

Eduardo Okamoto apresenta “Agora e na Hora de Nossa Hora”, solo sobre meninos de rua, dirigido por Verônica Fabrini. O espetáculo acaba de ser um dos destaques do 14. Międzynarodowy Festiwal TEATROMANIA, na Polônia. A apresentação acontece no dia 15, às 23h, na Oficina de Teatro da UEM.  Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui.  

 

Depois, no dia 16, das 14 às 18h, Okamoto ministra a oficina “Dramaturgia do Corpo”. Ali, apresenta os princípios fundamentais da criação dramatúrgica de “Agora e na Hora de Nossa Hora” – formulada a partir de repertórios corporais do ator. As inscrições estão encerradas e já não há vagas.   

 

Serviço
“Agora e na Hora de Nossa Hora” em Maringá
Dia 15 de junho, às 23h
Oficina de Teatro da UEM
Ingressos: R$ 10,00 (Inteira) – R$ 5,00 (Meia entrada)
Informações: http://festivaldeteatrodemaringa.blogspot.com.br 

 

Oficina “Dramaturgia do Corpo” em Maringá
Dia  16 de junho, das 14h às 18h
Teatro Calil Haddad, Sala de Dança
Inscrições encerradas  
Informações: (44) 3011-3880 e 3011-5945 

“Agora e na Hora de Nossa Hora” no Correio Popular

 

O jornal Correio Popular noticiou, na edição de domingo, dia 20 de maio de 2012, a apresentação de “Agora e na Hora de Nossa Hora” na Polônia.   Para ler a matéria na íntegra, clique aqui

 

 

Valem duas pequenas correções ao texto: Eduardo Okamoto não é ator da Boa Companhia – ainda que o espetáculo seja dirigido por Verônica Fabrini, também diretora deste grupo; “Agora e na Hora de Nossa Hora” não foi criado em 2011, mas em 2004.    

Eduardo Okamoto no Clube da Leitura, no SESC Carmo

 

Em 31 de maio, às 19h, Eduardo Okamoto participa do Clube da Leitura, do SESC Carmo, na capital Paulista. Neste mês, o clube debate o livro “Estórias Abensonhadas”, do escritor moçambicano Mia Couto, publicado pela Editora Penguin – Cia das Letras. 

 

O Clube da Leitura é uma série de encontros mensais em que os leitores se reúnem para conversar sobre livros sugeridos pelo SESC, em parceria com a Editora Penguin – Companhia das Letras. O Clube de Leitura é um espaço alternativo em que o público pode compartilhar suas experiências literárias, dúvidas e impressões de leitura.

 

O livro escolhido para debate no mês, “Estórias Abensonhadas”, já motivou a criação de um trabalho de Okamoto: “Uma Estória Abensonhada”, em que dirigiu o Grupo de Teatro Camaleão, de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O espetáculo foi livremente inspirado num dos contos do livro, “A Praça dos Deuses”. Ali, um rico comerciante gasta toda a sua fortuna para celebrar em 40 dias e em praça pública o matrimônio do seu único filho.  

 

 

Além desta experiência, a obra do moçambicano Mia Couto já referenciou a criação de outros dois trabalhos com a participação de Eduardo Okamoto: “Eldorado” e “Chuva Pasmada”. O primeiro, monólogo de Okamoto, tem dramaturgia inédita criada por Santiago Serrano, mas muitas imagens do conto “O Cego Estrelinho” (do mesmo “Estórias Abensonhadas”) estimularam proposições do ator. O outro, parceria com o Matula Teatro, é adaptação de Cássio Pires para a novela homônima de Mia Couto. Os dois trabalhos foram dirigidos por Marcelo Lazzaratto.            

 

 

“Estórias Abensonhadas” no Clube da Leitura
Mediação de Eduardo Okamoto 
SESC Carmo – Área de Convivência, às 19h
Inscrições de 14 a 24 de maio pelo e-mail: biblioteca@carmo.sescsp.org.br
30 vagas 

“Tubo de Ensaio”: no ar entrevista com Eduardo Okamoto

 

No dia 08 de maio de 2012, Eduardo Okamoto participou do “Tubo de Ensaio” – programa de conversas sobre teatro, realizado pelo Palco Fora do Eixo, da Rede Fora do Eixo, com transmissão ao vivo pela internet. O público pôde participar enviando perguntas e comentários.  

 

A entrevista ainda pode ser conferida no canal do programa:.  Outras entrevistas realizadas pelo programa podem ser acessadas no canal.

 

O papo com Eduardo Okamoto pode ser conferido no vídeo abaixo:   

 


Video streaming by Ustream

 

Eduardo Okamoto no programa “Tubo de Ensaio”, da Rede Fora do Eixo

 

Eduardo  Okamoto participa, hoje, a partir das 19h, do programa “Tubo de Ensaio” – projeto que trabalha com a produção e difusão de conteúdo audiovisual através da plataforma online. Os produtores do programa acreditam que a internet é potente veículo de disseminação da informação, constituindo uma ferramenta de horizontalização do debate sobre os mais diversos assuntos. Assim, apostam que a criação de conteúdo audiovisual divulgado online abre espaço para uma renovação estética da linguagem televisiva. 

 

Na estréia do programa, Eduardo Okamoto fala de seu trabalho e de seus estudos sobre a arte de ator e as suas relações com a dramaturgia corporal. A entrevista também pode ser acompanhada ao vivo, de forma presencial, na Casa Fora do Eixo São Paulo (Rua Scuvero, 282, na capital paulista).  Aqueles que optarem por acompanhar pela internet também poderão enviar perguntas. A entrevista é transmitida no endereço: .  

 

“Tubo de Ensaio” é produzido pelo Palco Fora do Eixo, o braço dedicado às Artes Cênicas da Rede Fora do Eixo – rede que, desde 2006, vem constituindo um dos mais profícuos coletivos de produção e divulgação de trabalhos artísticos independentes, sobretudo aqueles que frequentemente, a despeito da elevada qualidade de seu trabalho, passam despercebidos pelo radar da grande mídia (jornais, televisão, revistas etc.). O projeto, assim, é balizado por ações semelhantes da rede Fora do Eixo na transmissão de programas de TV online. Estas ações são agrupadas e nomeadas, na Fora do Eixo, como PosTV.       

 

Em 2011, a PosTv já foi realizada em diversos espaços de São Paulo: na Avenida Paulista, com a transmissão da Marcha da Liberdade; no Auditório Ibirapuera, com a transmissão do Prêmio Transformadores da Revista Trip e do debate “A Fronteira do Futuro – Criatividade, Tecnologia e Políticas Públicas, com a presença de Gilberto Gil e Lawrence Lessing, fundador da Creative Commons; na Rua Augusta, com a transmissão do Programa Supremo Tribunal Liberal, incluindo reportagens especiais na Cracolândia.

 

No Rio de Janeiro, a PosTv transmitiu o Fórum Internacional de Cultura Digital e, em Porto Alegre, durante o Fórum Social Temático, transmitiu o programa #ConversasInfinitas, com a a ex – Ministra do Meio Ambiente Marina Silva,  e o Fórum de Mídia Livre.

 

Depois do papo com Eduardo Okamoto,  “Tubo de Ensaio” apresenta, nos dias seguintes, programas transmitidos diretamente de Belo Horizonte e Porto Alegre. A programação, segue abaixo:

 

 

Selecionados para workshop na ELT

 

No próximo final de semana, nos dias 03 e 04 de março, das 14h às 18h, Eduardo Okamoto ministra workshop “Dramaturgia do Corpo”, na Escola Livre de Teatro de Santo André – ELT. No curso, serão abordados alguns dos princípios de criação da dramaturgia do espetáculo a partir de repertórios físicos e vocais do ator. Estes princípios balizaram a  criação de trabalhos de Okamoto, como “Agora e na Hora de Nossa Hora” e “Eldorado”.

 

O workshop é parte do projeto “Agora e na Hora de Nossa Hora_18!”, contemplado com recursos do PROAC 2011 – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo.  

 

Recentemente a ELT divulgou o nome dos selecionados para o curso. A lista é reproduzida abaixo: 

 

Ana Heloíza Abdalla 014
Arlete Maria Pereira Ferreira 006
Azê Diniz 008
Bruna da Matta Sarubo 004
Carlos Alberto dos Santos 015
Cecília Vieira Mandadori 010
Dani ela Hernandez Solano 011
Diego Inácio da Silva 002
Felipe Ubaldo Milani 005
Giuliano Antônio de Figueiredo Bonesso 013
Humberto Tozzi 017
Jonathan Wellington de Lima 012
Julia Bellotti 003
Mariana Ganzerla 009
Patricia Ghuidotte de Faria 018
Tales André Lopo Jaloretto 001
Tátila Colin Cavignato 007
Valéria Carvalho Ramos 016