animação

O livro da vida

Caetano, 4 anos, pede papel para desenhar. O pai sugere que se arranque uma folha do novo caderno, que tem páginas sem pautas, comprado exatamente com esta finalidade.
– Não pode ser, papai. Esse é o meu livro da vida!

Oferta!

Feliz ė o povo que tem Caetano Veloso!
Feliz ė a família que, cantando a si mesma, celebra muitas outras!
Felizes são filhas e filhos que, hoje, puderam abraçar suas mães!
Felizes são as mulheres e homens que, na ausência de suas matriarcas, puderam inventá-las em outras pessoas!
Felizes aqueles e aquelas que, não podendo criar este brinquedo que engana as faltas, despenderam cuidados maternais consigo mesmos!
Felizes os humanos que, não alcançando nada disso, puderam, na palavra, dar sentido à solidão!
Feliz quem, não podendo manejar com habilidade a língua, tem silêncio!
Feliz quem, a despeito do barulho dos tempos, do governo e da falta de amor, não perdeu a esperança: todo dia tem o dia todo!

 

(texto escrito depois do show “Ofertório”, em São Paulo). 

Seminário Mario Santana 2019

Hoje, no Seminário de Pós-graduação em Artes da Cena, a mesa “Epistemologias do Sul, Teatro e Museologia Social” contou com a especial participação do Grupo Primavera. A ONG trabalha no atendimento a jovens de um dos bairros de Campinas, o São Marcos.
É bonito que pessoas e instituições estejam próximas à sua vocação. E a Unicamp está: lugar em que Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária se articulam, fanzendo-se, juntas, melhores.
Durante a conversa, uma das jovens da ONG perguntou à plateia qual foi a sensação de ingressar na Universidade. Muitos negros e muitas negras, com famílias pobres ou com poucas oportunidades de escolarização, relataram seus processos de ingresso: o impossível tornando-se real!
De repente, o debate decolonial já não era puramente bibliográfico, mas um estar em si, a percepção de que aqui é aqui mesmo e não outro lugar.
Se o Ministro da Educação, o governador e os deputados estaduais de São Paulo quiserem continuar os seus ataques às instituições de ensino, precisarão mudar seus argumentos. O dia de hoje existiu! Existimos!
Em tempo: a mesa foi organizada por Erika Cunha, Luciana Mizutani , Ana Flávia Sanfelice e Veronica Fabrini.