animação

“Eldorado” em Sorocaba

“Você não é cego”, ela dizia, “você tem olhos de sertão. Só isso, meu pequeno. Um dia uma chuva muito forte vai cair e seus olhos vão também florear”

 

O cego de ELDORADO continua sua jornada país adentro. Em setembro, é a vez da cidade de Sorocaba receber o espetáculo “ELDORADO”, solo de Eduardo Okamoto, integrando a programação da Mostra Do Bolso à Praça, promovida pela Trupé de Teatro. Por sua atuação neste trabalho, Okamoto foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator em 2009.  

 

A programação da mostra reúne várias atividades, sempre aos finais de semana e com entrada gratuita. Saiba mais na página da Trupé de Teatro no FB.

 

 

Sinopse
Acompanhado por uma “Menina”, um cego busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. Toda estória se resume nisto: era uma vez um homem que procura. Nos tempos e lugares da viagem, haja espaço para humanidades – travessia.

 

“Eldorado” encena a história que usualmente se desconta: descartada à primeira vista. O espetáculo nasce da observação da realidade, da interação com construtores e tocadores de rabeca, instrumento de arco e cordas, parecido com o violino, presente em muitas manifestações da cultura popular do Brasil. Desta maneira, procurou-se exercitar o olhar, encontrando no cotidiano os pequenos acontecimentos poéticos. Entre as margens da estória e da história, “Eldorado” procura recriar realidades. Assim, possamos recriar a nós mesmos.  

 

Ficha Técnica 
Concepção, pesquisa e atuação: Eduardo Okamoto
Dramaturgia: Santiago Serrano
Direção e Iluminação: Marcelo Lazzaratto
Preparação em rabeca e Trilha Sonora Original: Luiz Henrique Fiaminghi
Figurino: Verônica Fabrini
Fotografia: Fernando Stankuns e Adalberto Lima
Projeto gráfico: Alexandre Caetano
Orientação: Suzi Frankl Sperber
Assistente de Produção: Mariella Siqueira
Produção: Daniele Sampaio l SIM! Cultura
Duração: 60 min
Gênero: Drama
Classificação Etária: 12 anos

 

Serviço 

23/09 às 20h

Teatro da Trupé – Rua Dr. Nogueira Martins, 457, Centro – Sorocaba-SP.

 

Ingressos gratuitos distribuídos uma hora antes do espetáculo.
Lotação 30 lugares.

 

Outras informações: 15 3342-2159 contato@trupedeteatro.com.br 

“O Dragão de Fogo” no SESC São Carlos

o dragão de fogoDe Cássio PiresEncenação de Marcelo LazzarattoDireção Musical Marcelo OnofriCom Eduardo Okamoto, Esio Magalhães e Luciana Mizutani2017

 

Em setembro, “O Dragão de Fogo” está no interior paulista. Entre 15 e 16/09, o espetáculo realiza três sessões no SESC São Carlos. As duas primeiras apresentações serão voltadas a grupos escolares, sendo que a terceira é aberta ao público. Veja serviço abaixo.
 

Sinopse
Um menino desenhista enfrenta um dragão que, desperto de seu sono de séculos, ameaça destruir a sua aldeia. Ou: um garoto é sorteado entre todos os homens da aldeia para enfrentar uma terrível ameaça, preservando-se, assim, uma tradição: todos a qualquer momento têm de estar prontos. Isso é tudo.
 

Mas não é só. Ou não é solitário: haverá ainda seus pais, o primeiro amor, a esperança de aldeães, um rato encontrado furtivamente na morada do perigo. Haverá sempre a possibilidade do desenho e aquilo que ele pode revelar: a coisa mais forte do mundo!    
 
Ficha Técnica
Encenação e iluminação: Marcelo Lazzaratto
Dramaturgia: Cássio Pires
Atuação: Eduardo Okamoto, Esio Magalhães, Luciana Mizutani
Preparação em Kung-fu e desenho de movimento: Luciana Mizutani
Música original: Marcelo Onofri
Músicos: Henrique Cantalogo (flautas, percussão marimba), Eduardo Guimarães (sanfona e percussão) e Marcelo Onofri (piano)
Captação, mixagem e masterização: Mario Porto
Cenografia: Alan Chu e Cristina Sverzuti
Figurinos: Fause Haten
Assistente de figurinos: Anna Paula Abe
Adereços: Silvana Marcondes
Fotografia: Fernando Stankuns
Programação visual: Estúdio Claraboia
Registro em vídeo: Jonathas Beck | Artma Filmes
Assessoria de imprensa: Tiago Gonçalves
Produção executiva: Mariella Siqueira
Direção de produção: Daniele Sampaio | SIM! Cultura

 

Serviço
“O Dragão de Fogo” no SESC São Carlos
15/09 – Sexta-feira – 15h – exclusivo para agendamentos de grupos
16/09 – Sábado – 11h e 16h – Inteira R$ 17,00 – Meia R$ 8,50 – Credencial Plena R$ 5,00
Avenida Comendador Alfredo Maffei, 700, Jardim Gibertoni, São Carlos – SP.
Mais informações: 16 3373-2300

Programa de Cursos 2017 da SIM! Cultura

 


 

A elegância recomenda discrição. No último domingo, porém, uma tímida flor de orgulho nasceu. A oficina de Ma Zhenghong e Alejandro Gonzáles Puche encerrou o Programa de Cursos 2017 da Sim! Cultura. Pelo Estúdio SIM!, em Campinas, passaram cursos de criação (com Alice K e Maria Thais, além do colombiano e da chinesa já citados) e de produção (com Daniele Sampaio e Rômulo Avelar). O nível do debate foi alto não só porque havia professores inspirados e inspiradores, mas também porque houve turmas de alunos interessados e interessantes. A felicidade, assim, não poderia ter sido maior!
 

O encerramento do curso, no domingo, serve bem como alegoria desta nossa alegria! Os dois docentes estudaram no GITIS, o Instituto Estatal de Artes Teatrais, e trabalharam com Valiliev e Famenko. Em seus estudos, tomaram conhecimento de uma das tentativas inaugurais de Michael Chékhov em sistematizar a sua pedagogia para atores: o seu trabalho com atores do Teatro Estatal da Lituânia, em 1932. Depois, sua experiência ficou mundialmente famosa pelo seu trabalho nos Estados Unidos e, sobretudo, por livros como “Para o Ator” (o mais difundido, no Brasil). Acessando uma desconhecida publicação (mesmo na Rússia, já que, lembre-se, Chekhov foi considerado místico demais para padrões da URSS), os dois docentes traduziram o volume para o espanhol e para o chinês. Para isto, criaram um grupo de estudos que experienciou cada um dos exercícios antes da versão para outras línguas. Se não for forçar muito a imagem, podemos falar numa espécie de “análise ativa” da obra que viabilizou a tradução.
 

No Estúdio SIM! Alejandro e Ma compartilharam este saber (que já partilham até mesmo em território russo) e, ao final, ainda presentearam cada um dos alunos com o livro, em espanhol (este da foto): “16 lecciones y otros materiales”. O volume contém a descrição do trabalho de Chekhov na Lituânia e textos de Maria Knébel e Alejandro Gonzáles Puche.
 

Já seria muito orgulho poder dizer que, aqui, tivemos acesso a saberes aos quais dificilmente chegaríamos não fosse através das pessoas que cá estavam. Isto é muito. Mas não é tudo: também se criaram laços de afeto e desejo de projetos futuros. Talvez aí, a força do teatro: o encontro no aqui-agora semeando vontades de fazer mais por nós e pelo mundo!
 

A alegria, enfim, pode ser uma incrível plataforma de aprendizado! Viva!
 

Para saber mais sobre o que rolou, clique: http://www.simcultura.art.br/programadecursos/. Em breve, divulgaremos o programa 2018!