animação

Eduardo Okamoto em Araraquara

 

Eduardo Okamoto participa da 24. Semana Luiz Antônio Martinez Corrêa. O evento tem como finalidade fomentar, refletir e difundir a produção teatral fundada na pesquisa de linguagem, valorizando a diversidade cultural.  A Semana é organizada pela Prefeitura de Araraquara em parceria com o SESC e a Oficina Cultural Regional Lélia Abramo. 

 

No evento, Eduardo Okamoto participa do Café de Investigação: espaço formativo de debate acerca do teatro. Okamoto discorrerá especialmente sobre a arte de ator, seus métodos de treinamento e criação. Assim, abrirá conversa sobre a atuação, suas tradições formativas e as suas relações com a cena contemporânea. O Café de Investigação acontece no dia 21 de junho, às 19h,  no SESC Araraquara, e a entrada é gratuita.        

 

Serviço
Café de Investigação com Eduardo Okamoto
Dia 21 de junho, às 19h
Projeto OfiCena
SESC Araraquara
Grátis  

 

Eduardo Okamoto em Maringá

 

 

Eduardo Okamoto participa do Festival de Teatro de Maringá, apresentando “Agora e na Hora de Nossa Hora” e ministrando a oficina “Dramaturgia do Corpo”.

 

O Festival de Teatro de Maringá, em sua primeira edição, é organizado pela Prefeitura de Maringá, SESC e Universidade Estadual de Maringá. O evento acontece de 1 a 16 de junho em espaços diversos da cidade, como o Teatro Calil Haddad, Teatro Barracão, Teatro da UEM, a Praça Raposo Tavares e outros espaços ao ar livre.

 

Eduardo Okamoto apresenta “Agora e na Hora de Nossa Hora”, solo sobre meninos de rua, dirigido por Verônica Fabrini. O espetáculo acaba de ser um dos destaques do 14. Międzynarodowy Festiwal TEATROMANIA, na Polônia. A apresentação acontece no dia 15, às 23h, na Oficina de Teatro da UEM.  Para saber mais sobre o espetáculo, clique aqui.  

 

Depois, no dia 16, das 14 às 18h, Okamoto ministra a oficina “Dramaturgia do Corpo”. Ali, apresenta os princípios fundamentais da criação dramatúrgica de “Agora e na Hora de Nossa Hora” – formulada a partir de repertórios corporais do ator. As inscrições estão encerradas e já não há vagas.   

 

Serviço
“Agora e na Hora de Nossa Hora” em Maringá
Dia 15 de junho, às 23h
Oficina de Teatro da UEM
Ingressos: R$ 10,00 (Inteira) – R$ 5,00 (Meia entrada)
Informações: http://festivaldeteatrodemaringa.blogspot.com.br 

 

Oficina “Dramaturgia do Corpo” em Maringá
Dia  16 de junho, das 14h às 18h
Teatro Calil Haddad, Sala de Dança
Inscrições encerradas  
Informações: (44) 3011-3880 e 3011-5945 

O que vemos na Polônia: “Nieskończona Historia”

 

A última apresentação que vimos no 14. Międzynarodowy Festiwal TEATROMANIA – onde, no dia 25 de maio, apresentamos “Agora e na Hora de Nossa Hora” – foi „Nieskończona Historia.” – em português remete a algo como “História Infinita”. O espetáculo é dirigido por Piotr Cieplak (que, segundo me disseram, é um dos mais respeitados diretores poloneses da atualidade), à frente da companhia estatal do Teatr Powszechny im, de Varvósvia.

 

A fábula do espetáculo é simples: residentes de um mesmo conjunto habitacional, depois da morte de uma antiga moradora, reúne-se numa área comum (espécie de salão comunitário) e indagam-se sobre limites de vida e morte. O que interessa, parece, é menos o que se conta e mais o como se conta. Um conjunto afinado de atores, em incrível coro, não apenas “encarnam” personagens, mas ajudam, a narrar a fábula em composições diversas, com bonitas partituras corporais e vocais.

 

Por muitos aspectos o trabalho me remeteu às criações do célebre diretor polonês Tadeusz Kantor – especialmente à sua “Classe Morta”: a movimentação dos atores, próxima a de marionetes; a composição atoral mais afeita ao coro que a criação de sujeitos como indivíduos; um ator-personagem por diversas vezes atuando com uma espécie de regente em cena.   

   

 

Depois do espetáculo, arrumamos nossas malas e, enfim, voltamos ao Brasil. Foram seis dias entre preparativos para uma apresentação “Agora e na Hora de Nossa Hora”, intercâmbio com outros artistas, muita conversa. Vimos seis performances de espetáculos poloneses. E, claro, já sentimos muita, muita saudade!  Dias intensos, inesquecíveis.